Seja bem-vindo ao Cristão Capixaba!

Reflexões acerca do mundo cristão.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

VENCENDO AS CRISES DE REFERÊNCIA DA VIDA CRISTÃ!

Olhando para Jesus, autor e consumador da fé... (Hb 12.2).

Em meio a tantos motivos para se escandalizar e desanimar, por vezes quase não se consegue visualizar uma referência de vida cristã que nos inspire a não se corromper e a continuar avançando pelos caminhos da obediência e da santidade para com o Senhor. Os dias são maus, e infelizmente observamos entre os irmãos e até lideranças de nossas igrejas muita incredulidade, falsidade, engano, hipocrisia, adultério, fornicação e toda a sorte de obras da carne – algumas escondidas e outras até bem visíveis. Estas obras todas podem ser frutos de uma crise de referência de vida cristã mal resolvida. Parece não existir remanescente, não haver redimidos. MAS, QUE BOM QUE SÓ PARECE!

Olhai para mim, e sereis salvos... (Is 45.22).

DEFININDO A CRISE:
Crise de referência nada mais é do que falta de exemplo de vida cristã, que EU NÃO VEJO por parte dos outros. Em momentos de nossa jornada cristã, buscamos na vida dos outros uma referência humana no cumprimento do Evangelho – posso até não desenvolver todas as virtudes apregoadas pela igreja, mas quero que alguém as viva; quero ver a lição prática na vida dos outros dentro da igreja que freqüento. Identificamos-nos com pessoas que passaram por problemas como os nossos; que sonharam sonhos parecidos com os nossos; que atuaram em busca do melhor para o Reino de Deus – e que, sobretudo, sirvam de exemplo pra gente. O problema é quando minhas expectativas não são preenchidas. A partir daí julgo, aprovo ou reprovo e POSSO PERMITIR QUE SE DESENVOLVA EM MIM, uma forma de crise – aqui definida como “crise de referência de vida cristã – afinal a origem do problema parece ser na outra pessoa.

Ouvi-me, vós os que seguis a justiça, os que buscais ao SENHOR. Olhai para a rocha de onde fostes cortados... (Is 51.1).

O INÍCIO DA CRISE:
A crise de referência de vida cristã começa quando meu conceito de vida cristã exemplar não é satisfeito pelos exemplos de vida dos outros. Quando a falha ao invés da virtude é encontrada na vida do irmão ou da liderança – a minha crise pode começar. É um momento de surpresa desagradável, parece que se recebe um balde de água gelada na cabeça. A temperatura espiritual baixa a ponto de congelar as reações da fé. O modo de vida em desarmonia com a Palavra de Deus que os outros levam, podem trazer-me prejuízos espirituais se eu me focar nos deslizes alheios. Infelizmente em nossas igrejas, entre pessoas de iminência eclesiástica essa referência negativa existe – e tem alcançado muitas pessoas que acabaram por se esfriar na fé.

Olharam para ele, e foram iluminados; e os seus rostos não ficaram confundidos (Sl 34.5).

O CULPADO PELA CRISE:
Na verdade em todas as vezes que nos esbarramos em uma “crise de referência cristã”, nossa fé está em nível baixo. Quando falta fé, desviamos o foco do olhar espiritual de Cristo; saímos dos limites da esperança e escapamos para dalém da sombra do Altíssimo. Ao partimos na direção do escândalo pessoal, enfrentamos uma crise de referência e os sinais mais contundentes são as palavras de acusação, de condenação e um desânimo aterrador que se instala em nosso interior.

Nós erramos porque queremos que os outros façam bonito. Precisamos buscar na Palavra de Deus, Sua vontade para o nosso viver. Precisamos buscar através da oração e jejum forças de Deus para o nosso dia-a-dia. Precisamos desenvolver todos os dias um relacionamento mais íntimo com Jesus. Precisamos por A ROCHA ETERNA como o fundamento inabalável de nossa fé. Precisamos buscar as referências de virtude, santidade e amor Naquele que é perfeito e não no homem que além de ser imperfeito é inconstante em seus caminhos. Centralize suas vistas em JESUS CRISTO e DEUS lhe fará ver um novo horizonte de promessas que estão por se cumprir na sua vida e na igreja em que você congrega!

Olhai por vós mesmos. E, se teu irmão pecar contra ti, repreende-o e, se ele se arrepender, perdoa-lhe (Lc 17.13).

O EXEMPLO DO PROFETA ELIAS (1 Re 19.1-18):
O PROFETA ELIAS PERDEU A REFERÊNCIA DE SUA FÉ. Elias, o grande homem de Deus – talvez o mais admirável entre os profetas não literários – não escapou de uma “crise de referência”. Ele se preocupou com as ameaças de Jezabel; com a extinção dos profetas de Deus; com a apostasia israelita e logo tratou de levantar conclusões precipitadas.

1 Re 19.04 - Acreditou que seria melhor morrer (olha o que uma crise de referência espiritual gera – tem muita gente que morreu espiritualmente).
1 Re 19.10a - Acreditou que era singular - extremamente zeloso pela obra de Deus. (ninguém deve se achar mais santo ou piedoso que os outros).
1 Re 19.04b - Acreditou que o povo da aliança tinha se rebelado totalmente. (o foco passa a ser o fim de tudo – não há esperanças).
1 Re 19.14c - Acreditou que era último profeta do Senhor (um sentimento individualista pela verdade – não considera a provisão Divina – Deus não fica sem testemunhas!).

E olhai por vós, não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia (Lc 21.34).


O SENHOR – NOSSA REFERÊNCIA PERMANENTE (Sl 121 1-2).

Levantai ao alto os vossos olhos, e vede quem criou estas coisas; foi aquele que faz sair o exército delas segundo o seu número; ele as chama a todas pelos seus nomes; por causa da grandeza das suas forças, e porquanto é forte em poder, nenhuma delas faltará (Is 40.26).

Atende-me, ouve-me, ó SENHOR meu Deus; ilumina os meus olhos para que eu não adormeça na morte (Sl 13.3).

Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados (Ef 5.1).

Para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas (Hb 6.12).

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai (Fp 4.8).

Acho que não preciso comentar mais nada neste tópico.


CONCLUSÃO:
Já ouvimos muitas vezes através dos pregadores em nossos púlpitos a expressão: “Se você olhar para a vida do pastor vai encontrar falhas; se olhar para os feitos do professor de EBD, talvez você o reprove; se investigar a vida da dirigente do grupo de irmãs, talvez descubra algo que lhe entristeça. Mas, se você olhar para Jesus não vai encontrar falhas, deslizes e nenhum tipo de tropeço!”

Essa comum e conhecida expressão não deve ser utilizada apenas como ferramenta ou acessório de retórica e muito menos como jargão pentecostal. É UMA VERDADE QUE FAZ TODO SENTIDO PARA ESSES DIAS COM NUVENS DENSAS E CARREGADAS DE INDIFERANÇA E FALTA DE FÉ. Olhar para JESUS parece ser muito transcendental. Uma igreja que segue fielmente seus passos parece uma utopia. Compartilhar ou absorver experiências de bons cristãos que realmente têm Cristo diante de seus olhos parece um sonho.

MAS AINDA EXISTEM MUITOS ASSIM – E QUE EM ALGUM LUGAR ESTÃO EXALTANDO CRISTO ATRAVÉS DE SEU TESTEMUNHO PESSOAL E PRÁTICO. PRÓXIMO A MIM E A VOCÊ, DEUS SEMPRE LEVANTA ALGUÉM QUE PODE NOS DAR UMA LIÇÃO DE VIDA CRISTÃ – MAS O NOSSO FOCO SEMPRE DEVE SER JESUS CRISTO!

Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão (1 Jo 1.8).
Postar um comentário