Seja bem-vindo ao Cristão Capixaba!

Reflexões acerca do mundo cristão.

sábado, 24 de janeiro de 2009

AMEAÇAS QUE RONDAM A ADORAÇÃO CRISTÃ

Vivemos num mundo religiosamente complexo e variado. Em particular o cristianismo protestante em sua faceta pentecostal e neo pentecostal, vivem dias difíceis em que ameaças (como falsos obreiros, modismos e imaturidade bíblica e espiritual) rondam nossas igrejas, cercam nossos púlpitos e dissolvem mentiras com cara de verdades entre nossos irmãos.

Já é tempo de nossas lideranças e até membros de nossas igrejas se posicionarem contra essas inverdades que querem nos descambar para a rejeição da ortodoxia, dos bons costumes e até do bom senso.

Refiro-me, especificamente à alguns "cultos", "encontros" e "shows" realizados em igrejas, auditórios, arenas e etc, que na aparente intenção de adorar a Deus, acabam por promover escandâlos, suscitar dúvidas e lançar tropeços entre os sinceros servos de Cristo.

Exemplificando esse comentário; se em muitas igrejas alguns de nossos pastores apresentarem o evangelho genuíno de salvação e transformação de vidas, alguns participantes vão achar "enjoado" e até denominar como "culto frio"; afinal ninguém passou "revelação extra" (porque A REVELAÇÃO completa nós já temos - a Bíblia Sagrada); ninguém foi "arrebatado", ninguém saltou, pulou sobre os bancos, expulsou o mal que assombra a vida de outrem.

A sociologia compreende os modismos como uma identificação de necessidades, que se tornam expectantes e que doravante geram mudanças nos hábitos e ações de indivíduos, comunidades e até povos. Em resumo, isso significa que os modismos pentecostais são resultantes dos desejos de uma parcela de irmãos que desprovidos de qualquer base bíblica, querem "mais poder", nem que pra isso tenham que se tornar anti-éticos, anti-litúrgicos e adotem comportamentos estranhos perante a igreja local.

Nada contra o poder de Deus e sua manifestação em nossas vidas; nada contra o desejo crescente por mais da presença bendita do Espírito Santo de Deus. Mas sou contra a omissão do irmão(ã), quem não valoriza EBD, Culto de Ensino, Pregação do Evangelho. Sou contra a falta de reverência e temor a Deus na hora do culto, em que só fica bom se alguém gritar, apresentar "revelações especiais". Sou contra aqueles que pregam e "revelam" prometendo em nome de Deus, prosperidade e solução de problemas sem apresentar a questão vital de encontro com Deus, vida de santificação e testemunho de servo de Deus junto à sociedade; bem como o cumprimento das obrigações que estão sobre nós.

A questão mais vital é que quando não louvamos por gratidão, quando não vamos ao templo para adorarmos a Deus, mas por outros motivos; acabamos por nos prejudicar espiritualmente. E O PERIGO QUE RONDA NOSSA VIDA DE ADORAÇÃO A DEUS, TEM BASICAMENTE DOIS EXTREMOS DE URGÊNCIA: O PRIMEIRO É QUE NÓS PODEMOS MUDAR NOSSA ATITUDE DE VIDA PARA SERVIRMOS MELHOR AO SENHOR, CONFORME A SUA PALAVRA - CORRIGINDO ESSE COMPORTANDO INADEQUADO. A SEGUNDA É QUE NEM TUDO QUE ANDAM FALANDO EM NOME DE DEUS, VEIO DE DEUS - E AQUÍ TEMOS QUE BUSCAR DISCERNIMENTO E EMBASAMENTO BÍBLICO PARA COMPROVARMOS TAIS AFIRMAÇÕES.

Vida cristã não carece de dicas, nem de manual de instruções pós-bíblia; mas, vou compartilhar algumas orientações que julgo serem vitais para uma caminhada à luz da vontade de Deus para os nossos dias:
Valorize o estudo da palavra de Deus; encontre na bíblia as bases principais de seu culto de adoração; ouça com atenção a exposição da mensagem bíblica; julgue as profecias; prove as "revelações" sobre o crivo infalível DA REVELAÇÃO - BÍBLIA SAGRADA; seja pontual quanto aos horários reservados a adoração; seja ético e decente durante as celebrações de sua igreja; respeite sua liderança; tenha cuidado quanto aqueles que você não conhece muito bem e se dizem mais santos que os outros; enfoque seu modelo de vida cristã naquelas pessoas de bom testemunho e não nos que geram polêmica ou suscitam desconfiança; tenha sobretudo um compromisso de vida com JESUS.

Que Deus nos guarde em Cristo de todos esses perigos mascarados de espiritualidade, que ao invés de nos aproximar do SENHOR, nos lançam para mais longe de sua presença.
Postar um comentário