Seja bem-vindo ao Cristão Capixaba!

Reflexões acerca do mundo cristão.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

GUERRA DE INTERESSES ENTRE RECORD E GLOBO!

INTRODUÇÃO

Queridos, depois de um tempo ausente de movimentar meu blog com novas postagens, estou de volta para mais uma vez expor com base na Palavra de Deus, nosso pensamento e posição quanto a fatos da atualidade.

Na semana passada para muita gente vieram à tona mais “ataques” da Rede Globo contra a Rede Record e Igreja Universal do Reino de Deus. É este o assunto apresentado em nosso artigo, espero que gostem e conto com a opinião e comentários de vocês.

O SUPOSTO “ATAQUE” DA REDE GLOBO

"Jornal Nacional" começou sua edição desta quarta-feira (12) com reportagem de César Tralli, que afirmou que o Ministério Público pedirá ajuda internacional para rastrear as movimentações financeiras na investigação de lavagem de dinheiro contra Edir Macedo.

Na matéria, Tralli cita reportagem do jornal O Estado de S. Paulo que teve acesso a documentos que comprovariam a investigação de que a Igreja desviava recursos de fiéis para a compra de veículos de comunicação. "A reportagem afirma: 'oito empresas de comunicação, entre elas a rádio e televisão Record estão entre as dez principais beneficiárias de transferências eletrônicas ou depósitos bancários que saíram da Igreja Universal do Reino de Deus'."

Segundo a matéria, teriam sido beneficiadas com dinheiro de fiéis as empresas Edminas, Rede Mulher de Televisão, Editora Gráfica Universal, e Rede Família de Comunicação, todas ligadas que fazem parte do mesmo grupo.

A RESPOSTA DA REDE RECORD

Na noite desta quarta-feira (12), a Igreja Universal usou o "Jornal da Record" para responder ao indiciamento de Edir Macedo e mais nove pessoas pelo Ministério Público de São Paulo (MP-SP), sob acusação de "desvio de recursos da instituição religiosa para a compra de empresas de comunicação e outros bens".
Durante todo o telejornal, os apresentadores Ana Paula Padrão e Celso Freitas faziam chamadas da matéria que viria no último bloco: "Crescimento da Rede Record incomoda a concorrência" foi uma das frases utilizadas, em referência aos dez minutos que a Rede Globo disponibilizou no "Jornal Nacional" da última terça-feira (11) para tratar sobre o tema.

Ao repórter Lúcio Sturm (ex-Rede Globo) coube a primeira reportagem. De longa duração, a matéria em nenhum momento falou sobre as denúncias contra Edir Macedo, apenas atacou a Rede Globo, questionando qual seria o motivo de a emissora da família Marinho ter dado tanto destaque à denúncia contra Macedo. Segundo infográfico, Band, SBT e Globo noticiaram o assunto, sendo que a duração das matérias foi de dois, quatro e dez minutos, respectivamente.

Na seqüência, as denúncias contra Macedo (não mencionadas) foram contrapostas com uma retrospectiva que visava mostrar o "jogo de interesse" com o destaque à notícia. "A família Marinho sempre usou a emissora a favor de seus interesses pessoais", disse o texto, que também apontou a suposta perseguição da TV Globo à Lula, citando, por exemplo, o debate de 1989, contra o então candidato Fernando Collor de Melo.

Em seguida, foi ar matéria de Ogg Ibrahim, com entrevistas com fieis da Universal, além de imagens de projetos apoiados pela Igreja. Nesta reportagem apenas uma vez é citada a denúncia do Ministério Público. Segundo o texto, a Igreja "não esconde que gasta para adquirir bens que ache necessários, como um jatinho para que pastores visitem os templos da Universal em todo o mundo".

No final, a reportagem diz que o destaque dado pela TV Globo à denúncia tem a ver com o "desespero" da emissora por estar perdendo o "monopólio" da informação no país. O "Jornal da Record" terminou com Celso Freitas citando o trecho de uma nota oficial publicada pela Igreja. "A Universal afirma que confia na Justiça brasileira, que não se influencia pelo interesse de qualquer grupo, mesmo aquele que quer manter o monopólio da informação".

A REPERCUSSÃO DA GUERRA DAS EMISSORAS DE TV, DENTRO DO COSMOS EVANGÉLICO

Num discurso de nove minutos, improvisado, o pastor pentecostal Silas Malafaia, da Assembleia de Deus, atacou pesadamente a Igreja Universal do Reino de Deus por causa da chamada “guerra das TVs”. Dizendo-se imbuído (por Deus) da missão de defender o povo evangélico da guerra de duas emissoras, Malafaia comparou a Record com um império do mal. A Globo foi poupada.
“Deus me levantou para falar”, começou. “Como é que uma igreja investe milhões numa TV só pra ganhar audiência? Todo tipo de imoralidade numa TV bancada com dinheiro de oferta e de dízimo?”

Malafaia, que é famoso por sua oratória no meio evangélico, mandou ainda um recado pessoal para Edir Macedo.

“Vou te dizer… Lúcifer, Satanás… Eles caíram por três motivos, irmão: soberba, multiplicação do seu comércio e poder. Estou vendo a história se repetir com vocês.”
O evangélico também cobrou da Universal menos empenho em ganhar dinheiro e mais “em pregar a palavra” de Deus. “Vocês estão perdendo o foco (como igreja)”, criticou.
“Estou dando alerta como um profeta de Deus. A comunidade evangélica não vai ser jogada numa guerra porque alguém que tem um problema emocional não resolvido, de ódio, porque foi perseguido lá atrás… e agora, a todo custo, quer quebrar o concorrente, quer fazer uma guerra.”

“Nós, evangélicos, não temos nada a ver com isso (…) O dinheiro da igreja a serviço do diabo e do pecado numa guerra ilógica.”
Ao final da cabongada, Malafaia se desculpou: “Não me levem a mal, vos amo, é por isso que estou dando este alerta.”

CONCLUSÃO

Por mais conservadores que possamos ser, por mais que desejemos ficar à distância deste capítulo de interesses entre as duas maiores redes de comunicação de nosso país; este assunto com certeza chegou até nós apresentando facetas um pouco diferentes.

Há uma tendência por parte da maioria dos evangélicos a se posicionarem à favor da IURD nesta chamada “guerra santa”. Do outro lado temos uma rede de TV não muito bem vista, principalmente pela ala conservadora do protestantismo evangélico.
As denúncias apresentadas pela REDE GLOBO, não foram criadas pela Globo; mas sim formalizadas pelo Ministério Público. As defesas da REDE RECORD frente as denúncias apresentadas pelo MP, foram respondidas em entrevista exclusiva por Edir Macedo no domingo (16/08) no programa Reporter Record, justificando aquisições e apoiando a justiça brasileira na continuidade de suas investigações; alegando que mais uma vez ficará comprovado que a decisão passada do STJ é a correta – arquivar o caso por falta de provas que justifiquem a continuidade do processo.

E VOCÊ, O QUE PENSA SOBRE ISSO?
Postar um comentário